Conheça nossos cursos
Conheça nossos cursos

Ensino Superior

Prouni e Fies: o que são, quem pode participar e características

Ensino Superior

Gestor de TI: mercado de trabalho, salário e formação

Ensino Superior

Prouni e Fies: o que são, quem pode participar e características

Por IMED Online em Nov 25, 2021 5:59:02 PM | 11 min de leitura

Prouni e Fies: afinal, você sabe como funcionam esses programas do Governo?

Atualmente, os estudantes brasileiros podem optar por dois tipos de instituições de ensino superior: as universidades públicas e as privadas. 

Nas universidades públicas, os estudantes não pagam nada para cursar uma faculdade, o que torna os cursos muito mais concorridos e as vagas limitadas. Sendo assim, é comum que muitos alunos optem por estudar em uma universidade privada, onde a concorrência é menor.

Contudo, um dos grandes impasses do ensino superior privado é a mensalidade. Afinal, muitas pessoas não têm condições de arcar com os custos de uma faculdade. 

É aí que entram os programas Prouni (Programa Universidade para Todos) e Fies (Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior). O principal objetivo das iniciativas é ampliar o acesso ao ensino superior brasileiro, oferecendo descontos e financiamentos para que os estudantes consigam bancar as mensalidades.  

Mas, como funcionam na prática esses programas? Neste artigo, trazemos todos os detalhes, explicando quem pode participar e quais são as principais características de cada um deles. Fique conosco e descubra qual se adequa com o seu perfil!

Confira:
O que é o Prouni? 
O que é o Fies? 
Quem tem Prouni pode tentar Fies?
Quais faculdades tem Prouni e Fies? 

prouni e fies - mulher sentada em banco com computador apoiado no colo

O que é o Prouni? 

O Prouni é um programa do Governo Federal que busca ampliar o acesso ao ensino superior. Criada em 2004, a iniciativa vem se consolidando como uma das principais portas de entrada para os estudantes de baixa renda em faculdades privadas, concedendo bolsas de estudo integrais e parciais. 

O programa oferece bolsas de estudos para cursos de graduação presenciais e a distância. O público alvo são estudantes que ainda não tenham diploma de nível superior. Também são concedidas bolsas para cursos sequenciais de formação específica.  

Os candidatos às bolsas do Prouni são selecionados a partir da nota do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Ou seja, para participar do processo seletivo do Prouni é indispensável fazer o Enem.

Os estudantes devem atingir uma pontuação mínima estabelecida pelo MEC (Ministério da Educação) para concorrer às bolsas do Prouni. Além disso, os candidatos têm que cumprir requisitos de escolaridade e renda familiar que conheceremos nos tópicos a seguir. 

Quem pode participar do Prouni 

O primeiro passo para participar do Prouni é ter feito a edição mais recente do Enem. Ou seja, quem busca concorrer às bolsas do Prouni em 2022 tem que ter feito o Enem 2021. Os candidatos devem obter a nota mínima de 450 pontos no exame e não podem ter tirado zero na redação do exame para participar do programa. 

Além desses critérios relacionados ao Enem, os estudantes devem ter renda familiar de até três salários mínimos por pessoa, não podem ter diploma de ensino superior e têm que satisfazer pelo menos uma das condições abaixo:

  • Ser aluno de escola pública ou particular com bolsa: um dos critérios estabelecidos pelo MEC é ter cursado o ensino médio em escola da rede pública ou em escola privada com bolsa integral. Estudantes que cursaram o ensino médio parcialmente em escola pública e parcialmente em escola privada com bolsa integral da instituição também podem concorrer. 
  • Ser pessoas com deficiência: nesse caso, a comprovação acontece no momento da matrícula na faculdade. Além dos documentos pessoais e de perfil socioeconômico, o candidato que alegar deficiência deve levar os documentos que comprovem a condição. Além disso, as pessoas com deficiência podem ter cursado o ensino médio em escolas públicas e privadas, mesmo sem bolsa integral.
  • Ser professor de escola pública de ensino básico: os professores da rede pública também podem concorrer a uma bolsa de estudos do Prouni. Para isso, os professores devem estar em efetivo exercício da profissão e estar concorrendo a uma vaga em curso de licenciatura, normal superior ou pedagogia. Neste caso, excepcionalmente, a renda familiar por pessoa não é considerada.

Um ponto importante para ressaltar é que não existe idade mínima ou máxima para concorrer às bolsas do Prouni. O principal é atender aos critérios que mencionamos acima e ter concluído ou estar em fase de conclusão do ensino médio. 

Quais são as bolsas do ProUni 

O Prouni oferece dois tipos de bolsas de estudos: integral e parcial.

As bolsas integrais são destinadas aos candidatos que têm renda familiar bruta mensal de até 1,5 salário mínimo por pessoa. Já as parciais, destinam-se aos estudantes que têm renda familiar bruta mensal de até 3 salários mínimos por pessoa.

Ou seja, a renda é fator determinante para conseguir uma bolsa integral ou parcial. 

Conheça as duas opções:

  • Bolsa integral: cobre 100% do valor da mensalidade do curso.
  • Bolsa parcial: cobre 50% do valor da mensalidade do curso, cabendo ao aluno arcar com os custos da outra metade.

A solicitação de bolsa integral ou parcial deve ser informada no momento da inscrição. Caso o estudante seja pré-classificado, caberá a ele comprovar que sua renda se encaixa no perfil de bolsa solicitado. 

Notas de corte do ProUni 

Abaixo, apresentamos as menores e as maiores notas de corte para passar nos cursos mais populares do Prouni. Confira:

  • Administração: entre 610 e 680 pontos
  • Agronomia: entre 540 e 650 pontos
  • Arquitetura e Urbanismo: entre 610 e 730 pontos
  • Artes Visuais: entre 455 e 695 pontos
  • Biomedicina: entre 640 e 715 pontos
  • Ciências Biológicas: entre 625 e 730 pontos
  • Ciências Contábeis: entre 460 e 640 pontos
  • Ciências Econômicas: entre 680 e 730 pontos
  • Comércio Exterior: entre 450 e 705 pontos
  • Direito: entre 660 e 703 pontos
  • Educação Física: entre 595 e 610 pontos
  • Empreendedorismo: entre 500 e 605 pontos
  • Enfermagem: entre 565 e 710 pontos
  • Engenharia Civil: entre 590 e 740 pontos
  • Engenharia de Produção: entre 600 e 715 pontos
  • Engenharia Elétrica: entre 625 e 760 pontos
  • Farmácia: entre 565 e 765 pontos
  • Fisioterapia: entre 560 e 755 pontos
  • Gastronomia: entre 605 e 635 pontos
  • Gestão Comercial: entre 455 e 680 pontos
  • Gestão de Recursos Humanos: entre 460 e 715 pontos
  • Jornalismo: entre 455 e 725 pontos
  • Letras (Português/Inglês): entre 500 e 735 pontos
  • Logística: entre 455 e 660 pontos
  • Marketing: entre 455 e 700 pontos
  • Medicina Veterinária: entre 600 e 750 pontos
  • Medicina: entre 710 e 815 pontos
  • Nutrição: entre 460 e 715 pontos
  • Odontologia: entre 520 e 745 pontos
  • Pedagogia: entre 480 e 655 pontos
  • Psicologia: entre 470 e 735 pontos
  • Publicidade e Propaganda: entre 550 e 705 pontos
  • Radiologia: média de 655 pontos
  • Segurança no Trabalho: entre 455 e 630 pontos
  • Serviço Social: entre 460 e 700 pontos

Prouni remanescentes: como funciona 

As bolsas remanescentes do Prouni são aquelas que não foram ocupadas nas duas chamadas regulares e também na lista de espera do programa.

A disponibilidade dessas bolsas ocorre por desistência dos candidatos pré-selecionados ou falta de documentação, por exemplo. 

Para concorrer a essas bolsas, valem os mesmos critérios das bolsas regulares. Ou seja, o estudante não pode ter diploma de curso superior e tem que ter obtido uma média das notas nas provas igual ou superior a 450 pontos e nota superior a zero na redação.

A única diferença é que para concorrer às bolsas remanescentes são aceitas notas das edições mais antigas do Enem, desde que sejam a partir de 2010. 

Normalmente, o anúncio das bolsas remanescentes acontece após as chamadas regulares. A inscrição acontece pela página do Prouni

Cotas no Prouni

Assim como outros programas, o Prouni também possui políticas de cotas. Nesse caso, as cotas são reservadas de acordo com critérios de raça/etnia e para pessoas com deficiência.

As pessoas de baixa renda que não se enquadrem nos grupos mencionados acima participam do processo seletivos do ProUni na modalidade de ampla concorrência.

O Prouni reserva bolsas às pessoas com deficiência e aos autodeclarados pretos, pardos ou índios. O percentual de bolsas destinadas aos cotistas é proporcional à quantidade de cidadãos dessa população em cada estado, segundo o último censo do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). 

É importante ressaltar que o candidato cotista também deve se enquadrar nos demais requisitos de seleção do programa.

o-que-e-prouni

O que é o Fies? 

O Fies foi criado pelo governo federal em 1999. O objetivo desse programa é também viabilizar o ingresso ao ensino superior. Contudo, seu funcionamento é diferente do Prouni. 

O Fies é um programa destinado ao financiamento da graduação de estudantes que não têm condições de pagar as mensalidades das faculdades privadas.

Os selecionados no Fies contam com o auxílio do Governo Federal para o custeamento das mensalidades do curso, até a conclusão do mesmo. 

Após o fim da graduação, o beneficiado deverá devolver o valor financiado pelo governo em parcelas mensais. Ou seja, é como se fosse um empréstimo, já que ao concluir o curso o estudante beneficiário terá de pagar a dívida. 

Com o Fies, é possível solicitar o financiamento de 10% a 100% do valor da mensalidade. Contudo, vale lembrar que o valor mensal total a ser pago à instituição não pode ser superior a R$ 7.000.

Ao longo dos anos, o programa de financiamento passou por diversas reformulações e, em uma das suas últimas mudanças, passou a ser conhecido como o Novo Fies. 

No tópico a seguir, trazemos as principais mudanças.

Como funciona o Novo Fies 

Em linhas gerais, a principal novidade do Novo Fies são as diferentes modalidades de crédito, possibilitando juros zero a quem mais precisa e uma escala de financiamentos que varia conforme a renda familiar do candidato. O modelo convencional costumava ter juros bem mais altos que o atual.

Além disso, no Novo Fies, o financiado começa a pagar as prestações respeitando o seu limite de renda, fazendo com que os encargos a serem pagos diminuam consideravelmente.

A seguir, trazemos mais detalhes sobre os tipos de financiamento do Novo Fies.

Tipos de financiamento do Fies

Desde 2018, o Fies oferece três modalidades de financiamento, uma delas a juros zero. Confira quais são e os critérios para ser completado por cada uma delas:

  • Modalidade I

Essa modalidade é voltada para estudantes de todo o Brasil, com renda per capita mensal familiar de até três salários mínimos. São oferecidas 100 mil vagas sem cobrança de taxa de juros. 

Os ingressantes por esta modalidade têm, no mínimo, 50% do valor total do seu curso financiado — parcela que pode chegar aos 100%, de acordo com as necessidades do estudante.

  • Modalidade II

Essa modalidade é destinada para estudantes das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, com renda per capita mensal familiar de até cinco salários mínimos. 

São 150 mil vagas com taxa de juros variável, de acordo com a instituição financeira responsável pelo financiamento.

  • Modalidade III

É destinada para estudantes de todo o Brasil, com renda per capita mensal familiar de até cinco salários mínimos. São 60 mil vagas com taxa de juros variável, de acordo com a instituição financeira responsável pelo financiamento.

Quem tem direito ao Fies 

No Novo Fies, podem participar estudantes graduados e não-graduados de todo o Brasil, com renda per capita mensal familiar de até cinco salários mínimos.

Também é necessário que o candidato tenha participado de alguma edição do Enem a partir de 2010 e obtido pontuação mínima de 450 pontos, além de não ter zerado a redação.

Nota de corte do Fies 

Abaixo, apresentamos as menores e as maiores notas de corte para passar nos cursos mais populares do Fies. Confira:

  • Administração: de 450 a 685 pontos
  • Agronomia: de 478 a 640 pontos
  • Arquitetura e Urbanismo: de 481 a 749 pontos
  • Biomedicina: de 457 a 685 pontos
  • Ciências Contábeis: de 450 a 682 pontos
  • Direito: de 460 a 765 pontos
  • Educação Física: de 451 a 670 pontos
  • Enfermagem: de 455 a 670 pontos
  • Engenharia Civil: de 450 a 734 pontos
  • Engenharia de Produção: de 450 a 720 pontos
  • Engenharia Elétrica: de 450 a 699 pontos
  • Engenharia Mecânica: de 462 a 712 pontos
  • Farmácia: de 452 a 700 pontos
  • Fisioterapia: de 460 a 711 pontos
  • Gastronomia: de 452 a 676 pontos
  • Gestão Comercial: de 455 a 605 pontos
  • Gestão de Recursos Humanos: de 450 a 630 pontos
  • História: de 459 a 689 pontos
  • Jornalismo: de 452 a 725 pontos
  • Letras: de 459 a 677 pontos
  • Marketing: de 450 a 670 pontos
  • Medicina Veterinária: de 535 a 700 pontos
  • Medicina: de 720 a 831 pontos
  • Nutrição: de 450 a 700 pontos
  • Odontologia: de 532 a 760 pontos
  • Pedagogia: de 450 a 670 pontos
  • Psicologia: de 450 a 705 pontos
  • Publicidade e Propaganda: de 450 a 697 pontos
  • Serviço Social: de 455 a 630 pontos
  • Sistemas de Informação: de 455 a 680 pontos

Quem tem Prouni pode tentar Fies?

Para os estudantes que conseguiram bolsas parciais no Prouni, é possível financiar o restante da mensalidade através do Fies. Para isso, é preciso que a faculdade em que o estudante está matriculado também participe do Fies.

Fies e Prouni podem ser requeridos ao mesmo tempo, desde que sejam utilizados para pagar o mesmo curso, na mesma instituição em que o estudante tem a bolsa do ProUni. 

É importante lembrar que a soma dos dois benefícios não pode ser superior ao valor dos encargos educacionais, com desconto.

quem-tem-prouni-pode-tentar-fies

Quais faculdades tem Prouni e Fies? 

Para conferir quais faculdades tem Prouni e Fies, você deve acessar os sites dos respectivos programas. 

No site do Prouni (http://prouniportal.mec.gov.br/) e do Fies (https://fies.mec.gov.br/), é possível conferir as instituições da sua região e em qualquer lugar do Brasil que aceitam os programas.

Aqui na IMED, é possível cursar as graduações online utilizando o Prouni e o FIES. Os cursos online da IMED seguem o mesmo rigor e qualidade dos cursos presenciais. Os professores são mestres e doutores, tutores especialistas e o diploma tem o mesmo reconhecimento.

E se você não obteve nota suficiente ou não atende todos os critérios para participar desses programas, venha conhecer as ofertas de bolsas de estudos da IMED.  É possível garantir bolsas de até 100% no primeiro semestre. 

Confira aqui as opções de cursos e comece hoje mesmo a trilhar seu caminho em direção ao diploma de ensino superior. 

Ensino Superior

Veja mais conteúdos da IMED sobre EAD e educação

Gestor de TI: mercado de trabalho, salário e formação

 
16 min de leitura

O que faz um gestor comercial e o que é preciso para atuar na área

O gestor comercial é o profissional responsável por acompanhar a qualidade, a produtividade e a competitividade da ...
22 min de leitura

O que você precisa saber para ser um administrador de empresas de sucesso

Quem nunca pensou em ter o próprio negócio ou administrar uma grande empresa, não é mesmo? O curso de Administração ...
17 min de leitura
Ver mais conteúdossobre Ensino Superior